Arquivo de novembro, 2007

Cada um com suas manias.

Todo mundo tem manias né? E algumas são bem engraçadas! Perto daqui, tem uma padaria onde tem uns fregueses bem peculiares. Eu, que tô sempre por lá, já vi muitas coisas divertidas.

Tem um senhor aposentado que vai lá toda manhã e toma 2 goles de cachaça – isso antes das 8h- e duas cervejas brahma – não serve outra-, vai embora e volta às 17h horas, onde repete o mesmo ritual: 2 goles de cachaça e 2 cervejas brahma.. Se não tem esta marca, ele vai embora sem tomar nada. Se vai prá outro lugar, eu não sei.

Tem um outro que vai comprar cigarro, mas ele tem que escolher as fotos que vêm átras alertando sobre os perigos do fumo: se for da menina com asma e a do rato com baratas ele não compra; com a foto que alerta sobre “fumar causa impotência” ele não se importa, este ele compra. Rs.

Eu tenho algumas manias também: adoro contar os risquinhos das faixas das rodovias, adoro olhar placa de carros prá ver se tem números repetidos, adoro ver bichinhos nas nuvens do céu, e, sempre acho que a minha bolsa tá aberta. Rs.

Enfim, cada um com sua mania né? Até que as minhas não são tão graves. Rs.

“NÃO ME PERGUNTE SE ISSO TEM CABIMENTO…SE TIVESSE, CABERIA EM ALGUM LUGAR, E EU ENTÃO GUARDARIA ESSA LOUCURA…” Andreá Muniz.

Como começar uma guerra matrimonial!

Então o Nelson, meu marido, disse que se eu não desligasse meu computador direito, ele ia me deixar esperando uns dois dias prá arrumá-lo (visto que o Windows XP precisa desligar direitinho porque ele é chato e dá pau). Eu respondi que, se isso acontecesse -a demora- eu ligava o dele e mandava pra lixeira todos os programas (ele é programador de sistemas) e também destruia a HD onde ele faz cópia de tudo. Rs. Ele retrucou que aí quebrava os meus dentes. Rs. E eu argumentei que batia nele de havaianas de pau.

E caímos  na risada, porque sempre que conversamos nesse tom, sabemos que é brincadeira e ainda comentamos que como uma conversa boba pode descambar para uma briga séria, se um dos dois fosse apelador né?

Quanta discussão, quanto divórcio não teria começado de uma briga boba hein gente? É só um apelar que o outro, geralmente por orgulho, não fica átras e ai a coisa pode partir até prá uma agressão física né? Mas, graças a Deus, não aqui em casa. Aqui o que não falta é bom humor.

E eu, prá não perder o costume, continuo, de vez em quando, sem querer querendo, fazendo alguma “cagada” no windows. Rs.

“O AMOR É CEGO, MAS O CASAMENTO ABRE OS OLHOS.” rs.

Preguiça não mata!

Gente, se eu me cortasse tenho certeza de que, ao invés de sangue, sairia pus. Rs. Isso porque eu tô podre, podre, podre… de preguiça. Rs.

É sério. Tô com o freio de mão puxado. Se vierem me falar que o George Cloney (que eu acho LLLIIINNNDDDOO) tá pelado na esquina de casa, eu deixo pra ir ver numa outra hora. Rs.

Eu tô assim: se eu penso em fazer alguma coisa, fico quietinha, quietinha, esperando a vontade passar. Será que, como dizia um amigo meu, eu tô precisando de “uma injeção de picadura na veia bostérica”? Que horror! Isso tá virando pornografia. Rs. Vou parar! Não posso me animar, senão a preguiça passa! Rs.

“A preguiça é a mãe do progresso, se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda. ” Anônimo. Rs. Vou ficar esperando uma grande idéia minha então! Inté mais.

Vamos encarar nossos “fantasmas”?

Aqui vai um conselho – apesar de dizerem que se fosse bom, ninguém dava de graça -, encarem, de verdade, mesmo que com receio,  os “fantasmas” do passado, que, nada mais são, do que problemas mal-resolvidos.

Não adianta fugir não, viu? Eles aparecem quando você menos espera: pode vir em forma de um telefonema, um e-mail, um esbarrão na rua, um toque de campainha…  Não adianta pensar que, se, você fugir, eles não te acompanharão. “AONDE ESTIVER SEU TESOURO, AÍ ESTARÁ O SEU CORAÇÃO”.

Então, se alguém aí tiver algum (e quem não tem?) vamos pensar seriamente em enfrentá-los para evitar surpresas desagradáveis, hein? Conselho de uma super-inútil que, já há algum tempo, vem protelando uns. Rs. Mas não façam igual  à regime não, hein? Que sempre vamos começar na segunda-feira de manhã e na segunda-feira à noite já desistimos. Somos pessoas de pouca fé né? Será? Sei lá. Hoje tô filosofando muito. Rs. Agora mesmo passa.

“Eu sou o resultado de meus próprios atos, herdeiros de atos; atos são a matriz que me trouxe, os atos são o meu parentesco; os atos recaem sobre mim; qualquer ato que eu realize, bom ou mal, eu dele herdarei. Eis em que deve sempre refletir todo o homem e toda mulher. “(Sakyamuni).

“Recebeu a carta, mas não leu ainda!” Rs.

Essa frase eu uso para definir quando um cara tem todos os trejeitos de gay, se veste como um gay, enfim, é um gay – rs-, mas ainda não sabe. KKKKKKKKK. Então eu digo que ele recebeu uma carta informando de sua sexualidade, mas, por teimosia ou qualquer outro motivo, não teve coragem de ler ainda. Rs.

Parece preconceito? Mas não é não. O que tem de gente assim, meu Deus! E podem notar: quem recebeu a bendita carta e se recusa a ler, geralmente sofre de problemas físicos e emocionais. Talvez passe a vida inteira sem ler, mas vai “penar” sua existência toda.

Outro dia, por brincadeira, fiz que ia atropelar um colega meu na rua. Vocês precisavam estar junto prá ver o jeito que ele correu e gritou. Aquele lá, quando resolver ler a carta, vai relê-la umas dez vezes. Rs. Até eu, que já desconfiava, assustei.

Enfim, tudo isso são bobeiras de uma mente desocupada. Rs. Mas que eu dou risada disso, dou.

Aproveitando, encerro hoje, sacaneando os corinthianos. Rs.

“Quando estão num campo de futebol:
Homem: JUIZ FILHA DA PUTA !!! CORNO !!! DESGRAÇADO!!!
Mulher: Porque ninguém passa a bola para aquele que tá com o apito?
Gay: TIMÃÃÃÃO EÔÔÔ !!! TIMÃÃÃÃO EÔÔÔ !!!”